segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A língua na música com O Teatro Mágico

Quem acompanha o blog sabe que a música, além dos livros, é minha paixão. Uma das bandas que eu mais gosto é O Teatro Mágico. E, antes de começar a falar das letras de suas músicas e suas relações com com a literatura e a língua portuguesa, vou falar da trupe em si.

 O Teatro Mágico é um grupo musical criado em 2003, na "cidade mágica de OZ" (Osasco), criado por Fernando Anitelli, o vocalista. Seu repertório reúne, além da música, o teatro, as artes circenses e a poesia, trazendo diversos temas em suas obras. Não são vinculados a gravadoras, sendo um projeto de apoio à música independente. Eles possuem três álbuns: Entrada para Raros, O Segundo Ato e A Sociedade do Espetáculo. Todos os artistas da trupe (músicos e artistas circenses, os "bonecos") se apresentam maquiados, fantasiados de palhaços e bonecos, outra marca registrada do grupo. Para quem quiser conhecer, todas as músicas do TM estão disponíveis para download gratuito na internet.

Agora, vamos ao assunto da postagem. Mais do que música, o TM faz poesia. Cada canção é repleta de metáforas, trocadilhos, aliterações e ecos, além de algumas referências à filosofia e à literatura, ou até mesmo à gramática.


Por exemplo, em Sintaxe à Vontade, tudo é referente às funções sintáticas de um texto:
"Sem horas e sem dores,
Respeitável público pagão,
Bem-vindos ao Teatro Mágico.
A partir de sempre
Toda cura pertence a nós.
Toda resposta e dúvida.
Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser,
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto.
Nenhum predicado será prejudicado,
Nem tampouco a frase, nem a crase, nem a vírgula e ponto final!
Afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas,
E estar entre vírgulas pode ser aposto,
E eu aposto o oposto: que vou cativar a todos
Sendo apenas um sujeito simples." [...] 
 Ouvindo sem muita atenção, não é possível diferenciar "sem horas e sem dores" do clássico "senhoras e senhores". Também há um jogo de palavras com "aposto", o verbo apostar e "oposto".

Também há algumas referências a autores modernistas, como Mario Quintana, em A Fé Solúvel.
"Hoje eu não vivo só... em paz
Hoje eu vivo em paz sozinho
Muitos passarão
Outros tantos passarinho
Muitos passarão"
A relação de "passarinho" e "passarão" é uma intertextualidade com "Poeminho do Contra", de Quintana:
"Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!"
Além dessa referência ao poeta, há, na mesma música, uma aliteração no verso "Que o teu afeto me afetou é fato, agora faça-me o favor".


Outra referência a um poeta modernista é não em uma letra, mas em uma introdução à música Ana e o Mar no show do disco Entrada para Raros. Antes de iniciar a música, Fernando Anitelli faz uma menção a Fernando Pessoa, com suas cartas de amor ridículas, dizendo que a próxima música a ser tocada é a mais ridícula do grupo, justamente porque fala de amor.
"Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas." - Álvaro de Campos
Também dois rápidos exemplos de eco que acontecem nas músicas. Uma, ainda em Ana e o Mar. No refrão, canta-se Ana e o mar, mar e Ana, mas facilmente dá para entender Ana e o Mar, Mariana. O segundo exemplo, em Cidadão de Papelão, há o verso Cria a dor, cria e atura. Sem prestar muita atenção, entende-se Criador, criatura

Outros tantos jogos de palavras e referências são encontradas em todas as músicas. Mas, mesmo tendo essa inspiração mais culta, O Teatro Mágico possui canções de fácil entendimento e acesso, cativantes para todas as idades. No meio de seus shows, há algumas declamações de poemas, como  Vigília:
Também há alguns trechos de canções e versos infantis. Em Ana e o Mar, há o versinho
Sol e chuva
Casamento de viúva
Chuva e sol
Casamento de espanhol
e uma variação. Já em Camarada d'Água, canta-se a canção do peixe vivo:
Como pode um peixe vivo
Viver fora da água fria?
Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua,
Sem a tua compahia?
 Bem, era isso. Quis passar um pouco do TM para vocês. Recomendo muito cada música deles. As melodias são gostosas de ouvir, os arranjos instrumentais são muito inteligentes e as letras são maravilhosas! Esqueci algo? Vocês já conheciam O Teatro Mágico? Gostam ou não? Há alguma outra banda com letras ricas assim que possam recomendar? Deixem nos comentários!

Um abraço,

**Encontrou algum erro? Envie um e-mail para eulivro.tulivras@gmail.com comunicando!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chega mais! Quero saber sua opinião!