segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Culpa é das Estrelas - John Green

" Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas."
Editora: Intrínseca
Páginas: 283
(Skoob)



Aos treze anos, Hazel Grace foi diagnosticada com câncer pulmonar, sendo, desde então, uma paciente terminal. A história começa com a rotina de Hazel, com 16 anos, e sua revolta com a doença.
"Sempre que você lê um folheto, uma página da Internet ou sei lá mais o que sobre câncer, a depressão aparece na lista de efeitos colaterais. Só que, na verdade, ela não é um efeito colateral do câncer. É um efeito colateral de se estar morrendo. (O câncer também é um efeito colateral de se estar morrendo. Quase tudo é, na verdade)."
Hazel vai, mesmo contra sua vontade, ao Grupo de Apoio, na igreja, para crianças com câncer, onde escuta os testemunhos de pessoas na mesma situação que ela, e, ao final, a longa lista daqueles que participaram do Grupo, mas não resistiram ao câncer. Um dia, no Grupo, ela encontra um garoto novo, bonito, chamado Augustus Waters, o Gus. Durante a sessão do Grupo, Hazel descobre que Gus é amigo de Isaac, a única pessoa que ia ao "Coração Literal de Jesus" (onde se encontravam para seus testemunhos) com quem a garota mantinha algum contato.
Gus e Hazel se encantam e começam uma amizade, que vai crescendo e passando pelas situações da adolescência. E a maior parte das discussões entre os dois gira em torno de dois livros: O preço do alvorecer, livro predileto de Gus, e Uma aflição imperial, apresentado por Hazel, que leva o casal a querer ir para a Holanda, atrás do autor da obra.

A leitura é emocionante. As personagens, cativantes. Em resumo, a citação de Markus Zusak, autor de A Menina que Roubava Livros, na capa do livro ("Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais") é verdadeira. A história é triste e não é. É muito bonita. Ver Hazel crescendo junto do Gus, como pessoa e chegando, em vários aspectos, a lugares onde ela nunca tinha chegado, junto dele, é algo que fez o livro valer a pena. Também é interessante o fato de que o livro não foca apenas em Gus e Hazel, como os principais. Em alguns momentos, é possível descobrir um pouco mais da história de Isaac, com sua situação delicada e sua namorada.

Falar muito do livro, neste caso, resulta em spoilers, então deixo por isso mesmo. Recomendadíssimo! Para deixar com um gostinho, deixarei alguns quotes abaixo:

"Parecia que tinha sido, tipo, há uma eternidade, como se tivéssemos vivido uma breve, mas infinita, eternidade"
"Alguns infinitos são maiores do que outros"
"Me apaixonei da mesma maneira que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra"
"Eu tenho medo de não ter nem uma vida nem uma morte que signifique alguma coisa"

Avaliação final:


Um abraço,



**Encontrou algum erro? Envie um e-mail para eulivro.tulivras@gmail.com comunicando!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chega mais! Quero saber sua opinião!